Em entrevista para a Kerrang! Radio durante o Download Festival 2019, Jim Root foi questionado se ele concordava com a avaliação do cantor Corey Taylor de que o próximo álbum do Slipknot, “We Are Not Your Kind”, terá “níveis Iowa de peso”.

“Não. Eu nunca, em um milhão de anos, compararia qualquer coisa que fizemos a algo que já fizemos anteriormente. Eu não acredito nisso. Eu acho que é ruim, porque não importa … quero dizer, você poderia dizer:  ‘Oh, nós vamos escrever o álbum mais pesado de todos os tempos’, ou ‘Nós vamos escrever um álbum que soe como ‘Iowa’. Mesmo se nos propuséssemos a fazê-lo, nunca se compararia. Nós não somos mais essas pessoas. Nós não somos mais essa banda. Esse foi um lugar no tempo; era um momento de quem éramos naquela época; e eu acho que tentar recriar ficaria artificial e nossos fãs iriam perceber. E mesmo que fosse um disco ótimo, muito pesado, agressivo, orgânico, a comparação não combinaria com isso. Então eu gosto de ver tudo como uma evolução. E se eu comparar qualquer coisa, não seriam as próprias canções; poderia ser o processo em si.”

Slipknot perform live at Download 2019 Credit: Eleanor Jane

Elaborando sobre como o processo de gravação de “We Are Not Your Kind” foi semelhante ao de “Iowa”, Root disse:

“Quando gravamos ‘Iowa’, nós tocamos, passamos pelas músicas, tocamos como banda e gravamos como uma banda. Nós não tínhamos feito isso … A última vez que fizemos isso foi ‘Vol. 3: (The Subliminal Verses)’, então ‘All Hope is Gone’ e até mesmo ‘.5: The Grey Chapter ” … tocamos algumas das músicas do ‘The Grey Chapter’ como uma banda, mas a maioria foi construída com demos. Então, este álbum, as demos foram construídas; nós trabalhamos nas demos; nós juntos, nós estávamos no estúdio, nós tocamos com o Jay [Weinberg], nós fizemos vários takes com o click, e vários takes sem o click, e foram sempre os únicos sem o clique que o fizeram. Mas nós éramos como uma banda tocando, e isso dava aquele empurrão e aquela sensação orgânica. Agora, sonoramente, vai ser diferente. Isso é outra coisa – sonoramente, você nunca vai corresponder a algo que você fez antes. É difícil perseguir e pegar uma vibe. É por isso que eu não gosto necessariamente quando as bandas fazem covers. Você nunca vai recriar o que foi feito, especialmente se for algo lendário e clássico”

Questionado sobre o que inspirou a “raiva” nas novas músicas do Slipknot:

“Há sempre algo em que se ter raiva, certo? Basta olhar para o momento em que estamos vivendo. Para mim, é só tentar aprender meu ofício, tanto quanto minhas demos, antes delas chegarem ao resto dos caras da banda. Estou tentando fazer algo que eu não fiz antes, tentando não me repetir. É um processo de aprendizado, a coisa toda. Eu vou ser do tipo ‘eu nunca escrevi nada assim antes. Isso é ótimo.’ Para vê-lo tomar forma e então chegar aos estágios finais de masterização, e então até mesmo estar tocando algo ao vivo, porra, isso é gratificante. Então, é só tentar se superar, talvez.”

 

“We Are Not Your Kind”, sexto álbum de estúdio da banda, tem o lançamento marcado para 09 de agosto. “Unsainted”, primeiro single oficial já está disponível no Spotify e Youtube. O álbum pode ser adquirido em pré venda pelo iTunes, Google Play ou Amazon Music.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *