Entrevista | James Root pra i-D

Foto : Paul Harries

Texto  : Frankie Dunn

Oi Jim. Você está de bom humor hoje?

Estou meio que ok… sou uma pessoa temperamental. Eu nunca fui a um médico ou algo assim, mas ou eu estou de muito bom humor  ou apenas blah. E realmente não há um meio termo.

Então você se descreveria como uma pessoa extrema?

Eu acho que sim. Mas acho que você tem que estar fazendo isso há 20 anos. Doutrina você nisso. Você está no palco, é o “Rei da Merda da Montanha de Merda”, com todas essas pessoas gritando e cantando suas letras de volta para você enquanto você toca seus riffs. Mas então você sai do palco e vai para o seu camarim e aqui estou eu, sozinho novamente. É extremo o que fazemos. Você tem que compartimentar, e eu não sou bom nisso.

O Slipknot desempenhou um papel fundamental para muitas pessoas durante os difíceis anos da adolescência. Quem teve esse papel em sua vida?

Durante aquele período rebelde de “meus pais são velhos, eles são péssimos”, eu era um metaleiro, então fui influenciado por Anthrax, Megadeth, Racer X e qualquer coisa que fosse liderada por guitarra. Quando você é jovem e está cheio de raiva, só quer tocar guitarra rápido, agressivo e intrincado. Então eu percebi que David Gilmour e John Frusciante estavam dizendo mais com uma nota do que muitos desses caras com 16 notas. Eu sou um libriano, então sou terrivelmente preguiçoso, e é como se eu pudesse sentar e praticar para chegar a esse nível de guitarra, mas qual é o objetivo? Para mim, é mais sobre melodia e emoção.

Totalmente justo o suficiente. Você tem 48 agora. Quantos anos você se sente?

Mentalmente, cerca de 15 ou 16 anos. Fisicamente, tenho cerca de 70 anos. Existe uma teoria sobre os viciados em recuperação que diz que, depois de obter ajuda, eles começam a evoluir mental e emocionalmente a partir de quando começaram seu vício. Então, se você começou a se automedicar aos 17 anos, mas não descobre até os 32 anos, você ainda terá a mentalidade de alguém de 17 anos. Isso é semelhante à turnê. Comecei a fazer turnê aos 27 anos, então acho que minha mentalidade agora deve estar nesse ponto. Estou pensando que talvez eu precise começar a entender algumas coisas, sabe? Desisti de ter uma família porque sabia que iria estar longe; relacionamentos e amizades sofrem, e é difícil ficar longe. É como viver duas vidas diferentes.

Você já sentiu vontade de deixar a banda e fugir para morar em uma floresta?

Todos os dias.

Como é a sua versão dessa fantasia?

Na verdade, eu olhei alguns terrenos. Meu único problema é que não quero me isolar mais do que já estou. Esse é um pensamento assustador. Tenho alguns amigos muito próximos onde moro agora e não quero deixar isso para trás. E por adiar a coisa de família, quando vou para casa, sou deixado por conta própria. Posso acordar, ser criativo, fazer arte e escrever música, se quiser; ou posso andar de moto e fazer uma viagem; ou posso ser um bastardo preguiçoso e jogar Xbox ou PS4 o dia todo, o que geralmente faço. Mas então eu me culpo por isso. É como, vamos lá, eu acordei hoje às 14:00 e agora são quatro da manhã e ainda estou jogando Call of Duty: o que há de errado comigo? Talvez seja uma coisa de culpa do Meio-Oeste.

Quem você considera a maior estrela do rock do mundo atualmente?

Agora mesmo? Eu não podia sequer começar a lhe dizer. Provavelmente, existem alguns dos artistas mais incríveis que você nunca ouviu falar, porque eles estão tão enterrados na Internet que você não consegue encontrá-los. Mas eu continuo vendo Billie Eilish em todos os lugares … nunca ouvi nenhuma música dela, mas as pessoas continuam me dizendo que eu gostaria. Definitivamente, eu tendendo a ouvir música sombria, menor (escala)  e dissonante, mesmo quando se trata de pop.

Para qual filme você diria que We Are Not Your Kind seria uma boa trilha sonora?

Eu gosto muito de ficção científica, então O Enigma do Horizonte ou 2001: Uma Odisseia no Espaço seria incrível.

O Slipknot tem sido considerado chocante. Existe alguma coisa, na música ou não, que você ainda considera chocante hoje?

Então, quando eu estava no colégio, o álbum Jane’s Addiction Nothing Shocking foi lançado. E ele está falando sobre como a televisão tem todas essas imagens e que nada é mais chocante. Em seguida, a internet veio e agora é como o Velho Oeste; você pode literalmente assistir as pessoas sendo decapitadas. Se você quiser ir pelo buraco de minhoca, está lá e é real. Para mim, porém, é o invisível que é chocante. O sobrenatural e o surreal são mais assustadores do que um machado ou uma faca. Você sabe qual será o resultado se houver esse personagem de 2,74 metros com a pele de alguém atrás de você com uma serra elétrica. Mas acordar no meio da noite e ver uma imagem translúcida gigante pairando acima de você que você realmente não consegue entender … isso é mais aterrorizante.

Você já teve algum tipo de experiência sobrenatural?

Não, mas eu sempre procuro OVNIs quando estou dirigindo pelo deserto. Tem que haver um planeta que evoluiu tanto quanto nós, se não mais. Eles provavelmente pensam que ainda somos um bando de macacos jogando merda um no outro.

Você se sente mais confiante com ou sem a sua máscara?

100% com isso. Há algo que acontece quando você coloca a máscara e fica com os outros oito caras que são totalmente desinibidor. Há certas coisas que eu nunca faria sem a máscara. É como um escudo, uma barreira. Tipo, esse é um personagem, não sou realmente eu. É o Halloween todos os dias para nós, onde podemos viver essas fantasias que talvez as pessoas sejam um pouco tímidas demais para usar normalmente. Isso me dá muita liberdade.

Você se lembra dos seus sonhos?

Estou meio que passando … não é um rompimento ruim, mas estou em um relacionamento tóxico que estou saindo. Estou meio que cortando a comunicação com alguém agora. É muito pouco saudável. Não desejo nada de mal ou mal a essa pessoa, só quero que ela melhore e seja feliz consigo mesma. Ultimamente, tenho tido muitos sonhos bizarros sobre pessoas falecidas. Paul [ex-baixista e membro fundador do Slipknot, que morreu em 2010] vem aparecendo muito nos meus sonhos.

Isso deve ser difícil.

É um pouco estranho; talvez eu não tenha superado completamente o fato de Paul ter ido embora, talvez eu tenha empurrado isso em algum lugar no fundo. Mas no sonho, ele voltou à vida. Ele faleceu, mas estava vivo e com a esposa, a viúva e eles estavam naquele carro esportivo azul. Ele era típico do velho Paul, mas era uma reanimação de si mesmo, como um zumbi. Então, isso desperta um monte de emoções estranhas e acho que talvez isso esteja relacionado à situação em que estou agora. Porque eu sei que há uma pessoa lá dentro, mas acho que elas têm algumas tendências narcísicas, possivelmente sociopatas. Talvez seja isso o que esse sonho significava … porque é Paul, mas não é realmente Paul, sabe?

É estranho sonhar com pessoas que morreram. Há algo de reconfortante, mas também é perturbador. Sonhos são estranhos, cara.

Pode até ser outra vida que estamos vivendo em nosso subconsciente. Poderia ser uma realidade alternativa, sabia? Tipo, nós realmente dormimos ou é apenas outra coisa que não lembramos? Vidas anteriores, coisas assim. Talvez seja tudo o que dizem em True Detective … o tempo é um círculo plano e tudo o que já fizemos, faremos uma e outra vez. Quantas vezes vamos fazer isso? Já tivemos essa entrevista antes. Nós vamos continuar repetindo isso eternamente.